Desabafo de uma professora - leia-indigne-se - repasse!


As consequências atingem toda a sociedade.

Comecemos por educar realmente nossas crianças, em casa, no condomínio... no
bairro...

Caros amigos, peço que leiam e repassem esse e-mail. É um relato de uma
professora sobre a realidade da escola pública. Sem o apoio da mídia, só nos
resta a internet para divulgar o que acontece.

PROFESSOR – UMA ESPÉCIE EM EXTINÇÃO

Por Verônica Dutenkefer (20/06/2009)

Esse texto que escrevo precisamente agora é mais um desabafo.

Desabafo de uma profissional que está lecionando há mais de 22 anos e que
não sabe se sobreviverá por mais dez anos, que é o tempo que ainda
precisará trabalhar (por mais que ame muito o que faz).

Trago comigo muitas perguntas que não querem calar. E talvez a mais
inquietante seja: O que será necessário acontecer para se fazer uma reforma
educacional neste país????

Constantemente, ouço ou leio reportagens com as autoridades educacionais
proclamarem a má formação de seus professores. Culpando as universidades, a
falta de cursos de formação e culpando-nos, evidentemente.

questionamentos:

Como um professor de escola pública pode fazer o seu trabalho se ele precisa
ficar constantemente parando sua aula para separar a briga entre os alunos,
socorrer seu aluno que foi ferido por outro aluno, planejar várias aulas
para se trabalhar os bons hábitos, na tentativa vã de se formar cidadãos
mais conscientes e de melhor caráter?

Nos cursos de formação nos é passado constantemente a recusa de um programa
tradicional e conteudista, mas nossas avaliações de desempenho das escolas,
nossos vestibulares e concursos públicos
ainda são tradicionais e nos
cobram o conteúdo de cada disciplina.

Como pode num país.....num estado...num município haver regras tão
diferentes entre a rede particular e pública?

Na rede particular as escolas continuam conteudistas, há a seriação com
reprovação, a escola pode suspender ou até mesmo expulsar um aluno que não
esteja respeitando as regras daquela instituição.

A rede pública vive mudando o enfoque pedagógico (de acordo com o partido
que ganhou as eleições), é cobrado cada vez menos do aluno, não se pode
fazer absolutamente nada com um aluno indisciplinado que até mesmo coloca em
risco a segurança de outros alunos e funcionários daquela instituição.

Dia a dia...minuto a minuto... os professores são alvos de agressões verbais
e até mesmo físicas pelos alunos. A cada dia somos submetidos a níveis de
stress insuportáveis para um ser humano.

Temos que dar conta do conteúdo a ser ensinado + sermos responsáveis pela
segurança física de nossos alunos + sermos médicos + enfermeiros +
psicólogos + assistentes sociais + dentistas + psiquiatras + mãe + pai
......

E, quando ameaçados de morte, se recorremos a uma delegacia pra fazer um
boletim de ocorrência ouvimos: “Isto não vai adiantar nada!”

Meus bons alunos presenciam o mal aluno fazendo tudo o que não pode ser
feito e não acontecendo nada com ele. É o exemplo da impunidade desde a
infância..

Meus bons alunos presenciam que o aluno que não fez absolutamente nada
durante o ano, passou de ano como ele, que se esforçou e foi responsável.

Houve um ano que eu tinha um aluno que era muito bom. E ele começou a faltar
muito e ir mal na escola. Os colegas diziam que ele ficava empinando pipa ao
invés de ir pra escola. Um dia, tive uma conversa com ele, e perguntei o que
estava acontecendo? E ele me disse: “Prá que eu vou vir prá escola se eu vou
passar de ano mesmo assim?”

Então eu procurei aconselhar (como faço com meus alunos até hoje) que ele
devia frequentar a escola, não para tirar notas boas nas provas ou passar de
ano. Ele deveria vir à escola para aumentar seu conhecimento que é o único
bem que ninguém poderá roubar.Que a escola iria ajudá-lo a aprender e trocar
conhecimentos com os outros e ajudá-lo a dar uma melhor formação na vida..

Depois dessa conversa ele não faltou mais tanto...mas nunca mais voltou a
ser o excelente aluno que era.

Qual a motivação de ser bom aluno hoje em dia?

Seus ídolos são jogadores de futebol que não falam o português corretamente
e que não hesitam em agredir seus colegas jogadores e até mesmo os árbitros.
Ensinando que não é necessário haver respeito às autoridades e aos outros.

Ou são dançarinas que mostram seu corpo rebolando na televisão e pousando
nuas para ganhar dinheiro.

Para quê eu me matar de estudar se há tantas profissões que não são
valorizados e nem respeitadas? ??

Conheci (e ainda conheço e convivo) ao longo de minha carreira na escola
pública
, inúmeros profissionais maravilhosos. Pessoas que amam a sua
profissão, que se preocupam com seus alunos, que fazem trabalhos
excepcionais. Que possuem um conhecimento e formação excelentes, mas que
estão desgastados e quase arrasados diante da atual situação educacional.

Li, há poucos dias, num artigo que os cursos de filosofia, matemática,
química, biologia e outros todos ligados à área de magistério não estão
tendo procura nas universidades.

Lógico!!!!!Quem é que quer ser professor??? ??????

Quem é que quer entrar numa carreira que está sendo extinta, não só pela
total desvalorização e respeito, mas também pela falta de segurança que
estamos enfrentando nas escolas?

Fiquei indignada com uma reportagem na TV (que aliás adora fazer reportagens
sensacionalistas colocando o professor sempre como vilão da história) em que
relatava que numa escola um aluno ameaçava os outros com um revólver e, num
determinado momento, o repórter perguntou:”Onde estava o professor que não
viu isso??!!”

E agora eu pergunto: “O que se espera de um professor (ou de qualquer ser
humano), que se faça com uma arma apontada pra você ou pra outro ser
humano??? Ah...já sei...o professor deveria enfrentar as balas do
revólver!!!! Claro!!! As universidades e os cursos de aperfeiçoamento de
professores não estão nos ensinando isso..

Vocês tem conhecimento de como os professores de nosso país estão
adoecendo??? ?

Vocês sabem o que é enfrentar o stress que a violência moral e física tem
nos submetido dia a dia?

Você sabe o que é ouvir de um pai frases assim:

“Meu filho mentiu, mas ele é apenas uma criança!”

“Eu não sei mais o que fazer com o meu filho!”

“Você está passando muita lição para meu filho, e ele é apenas uma criança!”

“Ele agrediu o coleguinha, mas não foi ele quem começou.”

“Meu filho destruiu a escola, mas não fez isso sozinho!”

Classes super lotadas, falta de material pedagógico, espaço físico
destruído, violência, desperdício de merenda, desperdício de material
escolar que eles recebem e, muitas vezes, não valorizam (afinal eles não
precisam fazer absolutamente nada para merecê-los), brigas por causa do
“Leve-leite” (o aluno não pode faltar muito, não por que isso prejudica sua
aprendizagem, mas porque senão ele não leva o leite.)

Regras educacionais dissonantes de acordo com a classe social dos alunos.

Impunidade.

Mas a educação não vai bem, por causa do professor..

Encerro esse desabafo com essa pergunta que li há poucos dias:

Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

O BOM NESTE PAÍS É SER POLITICO. APOSENTA-SE COM 8 ANOS DE "TRABALHO(?) ", E
QUE SALÁRIO!!! (sem contar que não precisa grande formação acadêmica pra
isto, infelizmente...)


20 comentários :

  1. Que bom ouvir tão sábias e realistas palavras. Nós professores estamos acuados, amedrontados e depressivos em nossas salas de aulas. Somos tudo e nada ao mesmo tempo. Agora cirou-se uma cultura de sempre achar que as mazelas da educação são de responsabilidade do professor e que se o aluno não aprende a culpa é sempre do docente que não deu sua alma, naõ ainventou e naõ reinventou. Sim, por que agora temos que nos virar em milm para sanar as deficiencias dos alunos que vem para a escolas sem amparo e respaldo ada familias, alunos agressivos, violentos e pais ausentes. E para se ensinar de uma forma que pedagógica que não milindri o aluno, mas este sim pode fazer o que quiser que não temos proteção nenhuma. Ganhamos mal e temos que fazer um trabalho astronômico. É muito fácil para os teóricos da educação ficarem cuspindo suas teorias do alto de seus escritórios com ar condicionado para que os outros (professores) tenham que cuprir. O resultado disto são professores doentes, depressivos e sofrendo com sindrome de bournour e companhia limitada.

    ResponderExcluir
  2. Meu nome é Marcia tenho 42 anos e fiquei muito triste com a leitura de seu desabafo, pois como aluna pesquisadora em uma sala de 1ª série de ensino fundamenta 1, cursando o 5º semestre de Pedagogia posso comprovar esta mesma realidade.
    Mais observo em sua fala a mesma esperança que busco estudando muito para completar minha faculdade. Esta esperança me faz pensar que:
    Um político,
    Um médico,
    Um astronauta,
    Um esportista,
    Um artista, entre outros,
    Nunca seriam nada se não soubessem ler e escrever, e estas ainda são nossas atribuições.
    Pensemos em Paulo Freire, em Rubem Alves, Gilberto Freire, Mario Quintana, Cora Coralina, Cecília Meireles, etc, etc, etc.
    Todos eles tiveram seus mestres, como você querida professora que desabafa, querida minha primeira professora Marizaura, e eu futura (depois de formada) professora Marcia.
    Esta resposta eu dedico para meus queridos aluninhos: Lílian, Ana Jenifer, Ana Beatriz, Vitória, Amanda, Sabrina, Iris, Eduardo, Guilherme, Danilo, Ataíde, Vitor, Leticia, Mylena, Julia, Maria Thalita, na esperança de vocês serem o melhor que puderem.
    Oro a Deus por um milagre: que nunca deixemos de acreditar e que nos dê forças para continuar.

    marsalass@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. PARABENS PELO SEU DESABAFO,SOU PROFESSORA A 30 ANOS ESTOU ATUANDO NA EDUCAÇÃO INFANTIL E 3º ANO ENSINO FUNDAMENTAL AMBAS EM ESCOLA PUBLICA.INFELIZMENTE NÃO ENTENDO QUE EDUCAÇÃO QUE SE ESPERA NO FUTURO,POIS UM POVO ANALFABETO PODE MUITO BEM VIVER SO COM DOAÇÕES E SEM RECLAMAR.SINTO SAUDADE DO TEMPO EM QUE EXISTIA RESPEITO SOLIDARIEDADE VERDADEIRA

    ResponderExcluir
  4. Professora infelismente esse é retrato da nossa educação.Nós educadores somos reféns de leis que encaminham os jóvens ao comodismo da certeza de sempre será aprovado.A falta de limite não imposta pela família, muito contribui para esse estado lastimável de sociedade, onde os jovéns podem tudo até destruir seus próprios futuros .É nescessário que ocorram mudanças as quais levem não só os educadores mas principalmente os educandos a pensarem a EDUCAÇÃO como algo fundamental para a contrução de um ser consciente e não como forma uma forma de diversão e violência.

    ResponderExcluir
  5. Oi, realmente seu desabafo é justo e compartilho dele em gênero, número e grau. Apesar de amar muito a nossa profissão, estou muito cansada, desanimada, decepcionada com os rumos que a educação está tomando. Parece que investir em educação significa editar alguns livros com roteiros de aulas para depois realizar uma avaliação externa . Isso está acontecendo no Rio Grande do Sul, na gestão da governadora Yeda Crusius. Isso é um absurdo...

    Abraços,

    Tãnia Regina Gabbi

    Panambi RS

    ResponderExcluir
  6. Vejo que a insatisfação é geral. Sou mãe e me preocupo muito com a situação.E acredito que, a educação deve ser recuperada a principio dentro de casa. Fico indignada com as atitudes das pessoas, é uma falta de respeito e amor ao próximo tão grande... mas saiba que ainda existe muitas pessoas boas nesse mundo e que não devemos nos acuar de forma alguma. O ladrão abusa pq ele tem espaço para isso. Nós temos que nos unir, conhecer os vizinhos e voltar a termos convivência com todos. Só se pratica o amor e o respeito, tendo contato com o próximo. Assim aprenderemos a ser solidários na dor, no amor...O mundo infelizmente está cada vez mais materialista, precisamos plantar nas crianças de hoje que da vida nada se leva e somente se deixa lembrança.

    ResponderExcluir
  7. Tenho 30 anos sendo 8 de profissão. Me emocionei ao ler seu desabafo porque este é o meu agora e será o mesmo daqui para me aposentar(se é que eu que eu chegue até lá como professora) porque meus planos é passar em um concurso e sair desta vida miserável. O último concurso que teve no municipio em que trabalho(em Alagoas)o cargo de veterinário, com a mesma carga horária ( 20hs) do professor receberia R$ 800,00 e o professor R$ 709,00, que depois retificaram o edital e baixaram para R$567,00.É ou não é para ficar indignad? Nesta mesma cidade nós ganhamos a mais que um gari( que é apenas alfabetizado) R$57,00. Depois de tantos anos de estudo e dedicação é para se desesperar. E as vezes o gari chega a ganhar mais porque tem muitos filhos(abono família que custa R$14,00 por filho).Aí como diz meu povo alagoano"Chupa essa manga".

    ResponderExcluir
  8. Tenho 30 anos sendo 8 de profissão. Me emocionei ao ler seu desabafo porque este é o meu agora e será o mesmo daqui para me aposentar(se é que eu que eu chegue até lá como professora) porque meus planos é passar em um concurso e sair desta vida miserável. O último concurso que teve no municipio em que trabalho(em Alagoas)o cargo de veterinário, com a mesma carga horária ( 20hs) do professor receberia R$ 800,00 e o professor R$ 709,00, que depois retificaram o edital e baixaram para R$567,00.É ou não é para ficar indignad? Nesta mesma cidade nós ganhamos a mais que um gari( que é apenas alfabetizado) R$57,00. Depois de tantos anos de estudo e dedicação é para se desesperar. E as vezes o gari chega a ganhar mais porque tem muitos filhos(abono família que custa R$14,00 por filho).Aí como diz meu povo alagoano"Chupa essa manga".

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pra vc que que teve e tem coragem de colocar a boca no trombone. Nossa classe precisa vestir a camisa e começar já a lutar por nossos direitos.
    Nossa atividade é de alto índice de risco, psicológico, neurológico e físico, uma vez que aumenta a cada dia mais os problemas vocais, alto nível de stress, e nas férias, o dinheiro não dá pra passear com a família, pra descansar um pouco.Temos o direito de exigir um adicional no salário, por trabalharmos numa função a qual é considerada de risco, inclusive de MORTE.
    Enquanto o Brasil inteiro não entrar de greve por unanimidade, sem data de voltar exigindo melhores salários e condições de trabalho, será cômodo p/ o governo deixar tudo como está.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Estava pesquisando textos sobre o Dia das Mães quando encontrei o atalho para esse seui desabafo. Li e confirmo cada palavra. Esse é meu desabafo também! sei bem o que você sente porque passo pela maesma situação. Amo minha profissão mas sinto que não poderei continuar exercendo-a ou não estarei com boa saúde para viver meus anos de vida. O mais triste é constatar que as chances de mudança são míninas visto que o respeito e o compromisso FORAM EMBORA DA CASA DE MUITAS FAMÍLIAS!

    ResponderExcluir
  11. Texto muito, desabafo de todos os educadores. As vezes ficamos com isso engasgado na garganta assim como tantos outros problemas que temos por sermos professores, e se vc é professor do ensino publico e de educação infantil, sinto que a situação piora ainda mais. Somos tachados de "vadios", de "preguiçosos", de tudo de ruim na verdade, e se a gte inventa de falar algo reclamar sobre nossos direitos a sociedade muitas vezes fica contra nós. Sou professora há pouco tempo, uns 7 anos, mas percebo que o desanimo é geral. Tenho esperanças de fazer alguma diferença no futuro dos meus alunos, mas as vezes é muito cansativo lutarmos sozinhos. Vou copiar esse texto e repassar com certeza. Parabéns. E sorte a nos educadores...

    ResponderExcluir
  12. É tudo que sinto em relação à educação de nosso país e me pergunto:
    Até quando isso vai durar?
    Será que algum dia seremos valorizados com salários dignos e melhores condições de trabalho?
    Eu amo o que faço e procuro fazê-lo o melhor possível, mas sem apoio e ajuda dos governantes fica cada vez mais difícil.

    ResponderExcluir
  13. Meu nome é Caroline, vou fazer 10 anos,e estou na 4ª série.Minha avó leu esta mensagem para mim, e como ela, também fiquei muito indignada, pois na minha sala têm uns alunos que nunca fazem nada e assim mesmo passam de ano.Já ouvi minha professora dizendo que estava pensando até em mudar de profissão, pois não suporta mais tanta pressão e desrespeito por parte de certos alunos.Concordo com seu desabafo e também acho que esta profissão se continuar assim logo estará em extinção.Tomara que isto não aconteça, pois gosto muito da minha professora Patrícia, da Escola Municipal Sidónio Muralha, em Curitiba.

    ResponderExcluir
  14. É realmente td o q eu quero dizer... e pedindo licença e dando os devidos créditos p/ autora usei este desabafo numa das muitas reuniões de "capacitação de professores", com o objetivo de sensibilizar gestores, educadores e profissionais de modo geral. É necessário repensar este modelo vigente de educação. Parabéns e Obrigada pelo DESABAFO!!!!

    ResponderExcluir
  15. Eu sonho em deixar a sala de aula.Gosto de ensinar,mas a cada ano que passa as coisas pioram em todos os setores da educação.E o pior:a sociedade só culpa o professor.Salários baixos,alunos desinteressados e desrespeitosos...A profissão de professor está acabando.

    ResponderExcluir
  16. O que eu mais queria nesse momento é que todas as pessoas ligadas ao governo e à educação lessem esses comentários.
    Gente! Será possível que só nós professores estamos vendo que isso não pode continuar assim?
    A família transfere as responsabilidades para a escola, esta por sua vez, coloca nas mãos do professor que de mãos atadas diante desta cruel realidade tem que se virar para dar o imenso conteúdo por sinal muito mal distribuído, fazer com que o aluno aprenda, desenvolver atividades extras, projetos, comemorações... e mostrar uma educação de qualidade!
    Enfim... Professor com características de super herois mas, sem poderes!
    Se pelo menos tivéssemos salário que nos permitisse viver dignamente!

    ResponderExcluir
  17. Flávia diz: Infelizmente a pedagogia na teoria dos bancos de faculdade e totalmente diferente da prática, hoje como professora considero formada e pós graduada vejo tudo com utopia entre os pensadores e a realidade do dia a dia. As famílias omitem-se de seus papeis jogando totalmente esse papel ao professor, que por sua e obrigado a receber, deixando a desejar sua real atribuição de transmitir o conhecimento cognitivo para que o aluno se torne um ser competitivo no mercado de trabalho.O seu desabafo querida professora é a ilustração da realidade de muitas de nós. deixo aqui a esperança de que nossa atual PRESIDENTA cumpra a plataforma dita em campanha. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  18. eu fico muito indignada; pois por mais que esperamos por um milagre! as injustiças continuam a nos fazer vitimas;
    tenho 32 anos; amo essa profissão; estou desempregada; tenho magistério e curso pedagogia
    mas o ensino esta cada vez assustador; exigem muito de um professor, mais não perguntam quais as nossas necessidades;
    na hora de uma entrevista; a experiencia já não conta; só se estiver faculdade; porra como teremos a chance de lecionar mesmo tendo magistério se eles exigem o impossivel;
    concurso? só se tiver faculdade.
    assim o mundo vai ter mais educador sem profissão.
    até terminar o curso; e como vai pagar?
    RO/ PROFESSORA DE ED. INFANTIL MAIS DE 4 ANOS E DESEMPREGADA.

    ResponderExcluir
  19. Nós educadores estamos sós no meio desta guerra de
    desrespeito, começando pelos pais omissos,ausentes
    E quanto aos governantes é isso que eles querem,
    mais analfabetos e jovens não críticos e nem parti
    cipativos na sociedade, para colocoarem eles
    no poder.

    ResponderExcluir
  20. Estou cursando o 4º período de pedagogia e por mais de uma vez já pensei em desistir pois mal comecei a fazer estágio e a trabalhar na rede particular e cada dia vejo tudo isso, professores desmotivados pelo desrespeito, péssimo salário e muita cobrança, vejo que se nada for feito em poucos anos nem imagino o que será deste país.

    ResponderExcluir

Comente Aqui!

Jogos e Brincadeiras é um site de atividades para educação infantil. Site para professores e educadores, especializado em atividades escolares, que tem por objetivo transmitir informações de diversas matérias escolares para melhorar a qualidade de ensino de nossos leitores. Você encontrará informações sobre Brincadeiras em grupo, Brincadeiras Infantis, Tarefas para Educação Infantil, dinâmicas infantis, tarefas para imprimir, projetos escolares e plano de aula. Nossa vontade é que você participe ativamente deixando comentários ou entrando em contato. Lembre-se que o que você ensina hoje, será o fruto do nosso futuro! Se você é Professor e gosta deste site, deixe seu comentário sobre nosso site.